PARQUE ESTADUAL DO SUMIDOURO

Criado em 1980 e implantado em 2010, o Parque Estadual do Sumidouro é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, com área de 2 mil hectares e tem como principais objetivos a preservação do patrimônio histórico, cultural, científico e natural existente na região, como as grutas, pinturas rupestres, a fauna e a vegetação do cerrado e da mata seca. O Parque está situado nos municípios de Lagoa Santa e Pedro Leopoldo, a 50Km da capital mineira e a 30Km do Aeroporto Internacional Tancredo Neves.

 

A Unidade recebeu esse nome por causa de sua principal lagoa. Um sumidouro é o ponto de drenagem das águas do terreno calcário e representa a abertura natural para uma rede de galerias, por meio da qual o curso d´água penetra no subsolo.

 

Os principais atrativos do Parque são: gruta da Lapinha, Museu Peter Lund, Casa Fernão Dias, atividades de caminhada e escalada. O parque possui em seu entorno monumentos arquitetônicos tombados pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG), como a Capela de Nossa Senhora do Rosário e a Casa Fernão Dias.

Funciona como receptivo do Parque na cidade de Pedro Leopoldo, na Quinta do Sumidouro.  

Sumidouro é a região do Anhanhonhacanhuva, terminologia indígena que quer dizer ”água parada que some no buraco da terra”. Quem conhece a região sabe que a lagoa do Sumidouro “some” em lindo e imenso paredão calcário, adornado por curiosas pinturas rupestres, e atinge o sistema subterrâneo de águas.

A Quinta do Sumidouro foi fundada no século XVII, nos anos de 1674 e 1675, sendo o seu nome original São João do Sumidouro.

 

Resolvendo permanecer na região enquanto não chegavam os suprimentos solicitados de São Paulo, Fernão Dias Paes Leme, bandeirante que buscava ouro na região, escolheu nos arredores uma porção de terra fértil e iniciou uma roça de cereais, por isso o nome Quinta do Sumidouro. 

Típica venda de apoio ao tropeirismo da Estrada Real do Sumidouro, a casa foi tombada pelo IEPHA/MG em 1975, como marco da passagem do famoso bandeirante pela região.

 

A Estrada Real permitia o abastecimento de alimentos da região mineradora, se estendendo até Salvador pelo vale do rio das Velhas e rio São Francisco. 

Com espaço expositivo e anexo administrativo, nas proximidades da casa está em exibição uma canoa histórica do século XVII, esculpida em uma única peça de madeira de 14 metros, além de espaço educativo do Centro de Difusão do Conhecimento Científico e Tecnológico. É a partir deste ponto que se inicia ainda a Trilha do Sumidouro, percurso de aproximadamente 2,3 Km, que tem como ponto final a lapa do Sumidouro.

 

A entrada para conhecer a Casa Fernão Dias é gratuita.

GRUTA DA LAPINHA (criar link para a página da gruta)

Principal atrativo do Parque Estadual do Sumidouro, o acesso é feito pela portaria do Museu Peter Lund, em Lagoa Santa. Eleita em 2011 como uma das “Sete Maravilhas da Estrada Real”, está inserida na Rota das Grutas Peter Lund, assim como a gruta Rei do Mato e a gruta de Maquiné.

Como chegar à Casa Fernão Dias partindo de Belo Horizonte: 
É preciso seguir pela BR-040, sentido Sete Lagoas, permanecendo na rodovia até o acesso a MG-231. A Gruta está localizada no km 7. 

Via Alberto Ramos, MG 231, s/n – Zona Rural

Fone: (31) 3689 8592

Horário de visitação: 9 às 16hs

Funcionamento: terça a domingo

Powered by themekiller.com