APA Carste Lagoa Santa

No Brasil, uma das principais áreas de relevo cárstico encontra-se na região da área de Proteção Ambiental (APA) Carste Lagoa Santa, em Minas Gerais. Nessa região, a ação solúvel da água sobre as rochas calcárias propiciou a formação de estruturas típicas do carste, como as cavernas.

A APA Carste Lagoa Santa, localiza-se mais especificamente na sub-bacia do ribeirão da Mata , uma das sub-bacias do Rio das Velhas, o maior e mais importante tributário do rio São Francisco em território mineiro.

Por se tratar de ambiente cárstico desenvolvido em rochas carbonáticas, guarda ainda expressiva quantidade de fósseis pleistocênicos, destacando-se a chamada megafauna extinta, painéis rupestres, utensílios, ossadas e importantes remanescentes, da ocupação humana pré-histórica no Brasil, com idade estimada de 12 mil anos.

A APA foi criada pelo Decreto Federal nº 98.881, de 25 de janeiro de 1990 e abrange os municípios de Lagoa Santa, Pedro Leopoldo, Matozinhos, Vespaziano, Funilândia, Prudente de Morais, além de todo município de Confins, numa extensão total de 356 km². Sua criação justificou-se pela relevância que as associações cársticas têm no âmbito nacional, pelas suas peculiaridades paisagísticas, de fauna e flora, pelo sistema hídrico, além de sua reconhecida fragilidade física e do grande valor histórico, científico e cultural.

Por esses motivos, o Decreto Federal 98.881  fixa amplas proibições e restrições para atividades antrópicas, objetivando imediata proteção das cavernas, sítios arqueológicos e paleontológicos, além da vegetação nativa presente nesta área.