Gruta do Maquiné – uma viagem ao interior da Terra a 120 km de BH

Dando sequência a nossa série sobre as grutas da Rota Peter Lund no Circuito das Grutas que tem ainda a Gruta da Lapinha e a Gruta Rei do Matochegamos a ela, a Gruta do Maquiné que encantou Peter Lund, Guimarães Rosa, tantos outros em outros tempos e continua nos encantando agora. Inclusive falar de tempo quando se fala de Gruta, é a algo no mínimo intrigante. Por elas, o tempo passou com gosto, com vagareza, com cuidado e paciência. Tempo de gruta não é tempo da gente, é tempo do mundo!

“E, mais do que tudo, a Gruta do Maquiné, tão inesperada de grande, com seus salões encobertos, diversos, seus enfeites e tantas cores e tantos formatos de sonho, rebrilhando risos na luz – ali dentro a gente se esquecia numa admiração esquisita, mais forte que o juízo de cada um, com mais glória resplandecente do que uma festa, do que uma igreja.” Guimarães Rosa.

E é isso mesmo, como disse “nosso” João nascido em Cordisburgo onde a Gruta deu de se formar, que a gente sente quando entra na Gruta do Maquiné: “uma admiração esquisita”, uma energia forte, um amor pela natureza e um agradecimento imenso à vida por ter nos dado o privilégio de chegar ali e sentir essa mistura de sentimentos e deslumbramento.

A Gruta do Maquiné está localizada em Cordisburgo, no Circuito das Grutas e foi descoberta em 1825 pelo fazendeiro Joaquim Maria do Maquiné, na época proprietário das terras. Foi explorada cientificamente, em 1834, pelo naturalista dinamarquês Dr. Peter Wilhelm Lund que, em seguida, mostrou ao mundo suas belezas naturais dessa admiração sentida.

Maquiné uma das cavernas mais visitadas do Brasil. A caverna é explorada para fins turísticos desde 1908, e foi a primeira caverna brasileira a receber iluminação artificial, em 1967, tendo grande importância socioeconômica para o município de Cordisburgo. Em 2005 foi criado o Monumento Natural Estadual Peter Lund – MNEPL, com o objetivo de proteger e conservar o sítio histórico-científico constituído pela Gruta do Maquiné, e pela flora e fauna de seu entorno. 

A Gruta possui sete salões explorados totalizando 650 metros lineares e desnível de apenas 18 metros. Iluminada e com passarelas, nos dá a segurança de um passeio de deslumbrante sempre na companhia de um guia que vi explicando com detalhes tudo o que há de mais maravilhoso durante o percurso. Para visitação estão o Salão do Vestíbulo, o Salão das Colunas, o Salão do Trono, o Salão do Carneiro, o Salão dos Lagos, o Salão das Fadas e o Salão Dr. Lund.

Das belezas das massas colossais de estalagmites ao altar onde a gente vê uma tapeçaria gigantesca de uma estalactite branca de brilho e de beleza extraordinários, a gente vai perdendo o fôlego como no Salão das Fadas onde foram encontradas grandes ossadas de animais, inclusive o resto de um megatério (a atual preguiça). Segundo Dr. Lund, “nenhuma outra caverna produzira combinações tão admiravelmente belas como as que se encontram nesta parte da gruta. No fundo há uma passagem para outro compartimento, onde parece se terem reunido todos os esplendores que a formação das estalactites pode produzir. As obras artísticas do mais alto gosto e a mais rica arquitetura são ali produzidas.” Conta a história que os companheiros de  Lund permaneceram muito tempo mudos à entrada deste templo e, involuntariamente, exclamaram: “Milagre! Deus é grande”! e ele disse: “nunca meus olhos viram nada de mais belo e magnífico nos domínios da natureza e da arte.”

E ele estava coberto de razão! É muita imponência e muita beleza juntas. Uma descoberta que fecha essa série com uma imensa vontade de recomeçar.

Refazer e refazer a Rota das Grutas Peter Lund no Circuito das Grutas. Entrar, entrar novamente e mais uma vez e cada uma delas e descobrir novos detalhes a cada única visita. Porque sim, cada entrada é única, cada emoção é única e é um privilégio imenso, no nosso tempo, podermos ter essas maravilhas tão próximas a nós!

Clique aqui para se informar sobre as regras de visitação.

Fotos: Evandro Rodney – Fotógrafo do IEF.

* Devido à regras de isolamento devido à COVID-19 a visitação da Gruta encontra-se suspesa, mas já anote na sua agenda para visitar assim que retornar a receber visitas.

 

Por Narly Simões